domingo, 29 de julho de 2012

CampusParty Recife 2012- Lastimável o descaso de instituições publicas , privadas , dos próprios estudantes e profissionais com um evento dessa abrangência e efervescência

 Lastimável o descaso de instituições publicas , privadas , dos próprios estudantes e profissionais com um evento dessa abrangência e efervescência e sendo o primeiro fora de São Paulo. Nas redes sociais quase zero registro e estacionamento enormes em sábado e  domingo quase vazio?  Teatros e salões preparados para lotações quase zero. Ate nisso ha descaso por parte do próprio publico alvo. Se oferecia chances de inúmeros empregos por varias instituições de porte grande e mega empresas!

                                 





Alexandre Hohagen falou sobre o poder da rede social para indivíduos e empresas!
Quer trabalhar no Facebook? Uma oportunidade é participar das hackathons (maratonas de programação) e palestras promovidas por funcionários da empresa na Campus Party Recife. No início da tarde deste sábado (28), o vice-presidente da companhia para a América Latina, Alexandre Hohagen, deu uma palestra falando sobre o poder da rede e anunciou a presença de engenheiros brasileiros vindos diretamente dos Estados Unidos para procurar possíveis futuros funcionários.

Hohagen ressaltou a importância da realização da Campus Party no Brasil, e mais especificamente na capital pernambucana. “Esse evento estimula o interesse dos jovens por profissões menos tradicionais. Vivemos em um País de engenheiros civis, médicos e advogados. Mas quando olhamos para a relevância do Brasil para empresas como o Facebook e o Google, vemos que tem tudo a ver. Assim como trazer o evento para o Recife, onde há um trabalho muito relevante na área de tecnologia”, afirmou.


Saiba mais sobre a cultura hacker do Facebook conferindo a palestra do engenheiro sênior da empresa Rodrigo Schmidt, no Cenário Pitágoras, às 18h deste sábado, e leia mais sobre a palestra de Alexandre Hohagen no JC deste domingo (29).

Nao foi perdeu!



Bob Wolheim diz que Brasil precisa pensar mais longe
Para ter um negócio inovador, não basta apenas ter uma boa ideia. O caminho do sucesso é muito mais longo. Empreender na web pode até ser mais barato, exigir menos capital, mas, por outro lado, demanda uma necessidade enorme de criar produtos, soluções e serviços baseados na inovação. “O Brasil ainda alia pouco sua criatividade aos modelos de negócio. Não porque não somos capazes, mas porque precisamos melhorar nossa autoestima, aprender a ser mais ousados, pensar mais longe”, comenta Bob Wollheim, da produtora de conteúdo Sixpix Content.
Na opinião dele, o empreendedor não precisa entender de tudo. Ele pode investir em parcerias: se um tem a ideia, o outro mexe com os negócios, um terceiro elemento cuida da tecnologia e assim por diante. Cada um com a sua especialidade, atuando na área que realmente entende. O importante é respeitar o tripé demanda/ideia/execução. Mas Wollheim chama atenção: “É bom sempre ter em mente que esse parceiro deve ser sinônimo de um aliado estratégico, que também sabe correr riscos e apostar”.
Para o cearense Leonardo Leitão, da Leme Soluções e Estratégias e curador do Palco Michelangelo, não basta apostar somente em novas tecnologias. É preciso ter em mente um público-alvo, estudá-lo, interagir com ele. "“A realidade aumentada, por exemplo, ainda é muito pouco explorada no Brasil. Sempre que é usada de maneira correta consegue encantar os consumidores"”, observa.
Para os mais novos, a grande dica de Yuri Gitahy, da Aceleradora, especializada em apoiar startups com gestão e capital-semente, é já pensar, desde o início da faculdade, em trabalhos capazes de gerar negócios. “Algumas empresas podem surgir de ideias simples. A chave do sucesso nem sempre está na complexidade. Um grande exemplo é o Peixe Urbano, que conseguiu aliar poder de consumo, novas tendências e e-commerce”, cita. Segundo ele, é preciso enxergar as oportunidades, ter velocidade e saber correr riscos.
SEBRAE
Quem já possui uma startup ou quer transformar uma ideia em realidade, mas não sabe como pode aproveitar a Campus Party para colocar tudo no papel. Dezesseis Agentes Locais de Inovação (ALIs), do Sebrae, estão espalhados pelo Chevrollet Hall instruindo os interessados na montagem de um plano de negócios baseado no design thinking. O grupo está repassando a metodologia do Business Model Generation (BMG), também conhecido como Canvas (tela, em inglês).
Marcelo Pimenta, consultor do Sebrae, na palestra Modelos inovadores de negócios para startups, ensinou que um bom plano de negócios deve estar baseado em atividade-chave, parcerias-chave, recursos-chave, estrutura de custos, relacionamento com o cliente, segmentos de clientes, proposta de valores, canais e fontes de renda.

sábado, 28 de julho de 2012

Lutar pelas gotas de agua ou morrer.VAMOS RACIONALIZAR O USO ANTES......

 
"China, Índia e Paquistão são dependentes do ciclo de gelo/degelo do Himalaia para manter seus recursos hídricos e poder alimentar suas imensas populações, que juntas ultrapassam 2,65 bilhões de seres humanos,ou aproximadamente 38 % da população mundial. Do Himalaia surgem as principais bacias hidrográficas da Ásia, fundamental para os países citados e para todo o ecossistema regional. Também Bangladesh, Nepal e Mianmar sofrerão com inundações seguidas de estiagem nas próximas décadas. Para se ter uma idéia do problema, somente na Índia, 600 milhões de pessoas dependem do Rio Ganges para beber e cultivar.Portanto toda a Ásia será afetada pelas mudanças climáticas, que trarão períodos alternados e cada vez mais violentos de seca e inundações, prejudicando as lavouras e trazendo problemas de abastecimento de água e alimentos, além de afetar suas economias."
'Lutar pelas gotas de água ou morrer'
Crescente escassez de água na China pode afetar seu crescimento e sua estabilidade. Com 19% da população mundial, a China possui apenas 6% da água doce do planeta
http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,lutar-pelas-gotas-de-agua-ou-morrer,904915,0.htm 
Essa escassez pode vir a ser muito mais importante para o futuro da China que os escândalos e as lutas pelo poder dentro da liderança do Partido Comunista, que recentemente capturaram a atenção internacional. Nas palavras de Wang Shucheng, ex-ministro dos recursos hídricos: "Lutar por cada gota de água ou morrer: esse é o desafio que a China enfrenta". Essas apreensões ganham urgência. "As restrições de nossos recursos hídricos disponíveis se tornam mais aparentes a cada dia", disse Hui Siyi, vice-ministro dos recursos hídricos, numa coletiva de imprensa no início deste ano. "A situação é extremamente séria em diversas áreas. Com o desenvolvimento veloz, o uso da água já ultrapassou o que os nossos recursos naturais podem suportar. Se não tomarmos medidas fortes e firmes, será difícil reverter a escassez que diariamente agrava a situação da água." De acordo com o Premier Wen Jiabao, a escassez de água ameaça a "sobrevivência da nação chinesa". Com 19% da população mundial, a China possui apenas 6% da água doce do planeta. Os problemas de água ali são profundos e complexos, com várias causas, incluindo: (1) tarifas baixas, desperdício e uso excessivo; (2) rápido esgotamento dos grandes reservatórios subterrâneos acumulados ao longo de milhares de anos; (3) erosão, desmatamento e assoreamento dos rios; (4) deterioração da infraestrutura de irrigação; (5) poluição dos rios e lençóis freáticos por resíduos agrícolas, industriais e domésticos. Especialistas chineses dizem que a poluição é um problema tão grande quanto a disponibilidade física de água. Um terço da água que flui nos rios da China é tão poluído que é impróprio para qualquer uso, tanto para residências e indústrias quanto para agricultura. O Banco Mundial alerta sobre "consequências catastróficas para as gerações futuras" se não for alcançado um equilíbrio entre o uso e o fornecimento. Escassez global. A escassez de água agora é global, mas pode ser mais crítica na China que em qualquer outro grande país. Com 97% da água do mundo contida nos oceanos salinos, o grosso da água doce é retido nas geleiras polares e das montanhas. Menos de um terço de toda a água doce é potencialmente acessível em aquíferos, lagos, rios e pântanos.
Um novo estudo do McKinsey Global Institute (MGI) projeta que a demanda mundial de água quase duplicaria no meio século que começou em 1980, com 3,2 trilhões de metros cúbicos para 6,3 trilhões de m³ em 2030, com 65% desse crescimento impulsionado pela agricultura, 25% pela indústria e 10% pelo uso urbano. No entanto, salvo adaptação radical e inovação, o MGI parece duvidar que esse nível projetado seja alcançado enquanto metade da população mundial em 2030 poderia estar vivendo em regiões que sofrem com escassez de água. Escassez de água, perda de terras, redução e rápido envelhecimento da força de trabalho rural levantam muitas questões sobre a política oficial de autossuficiência alimentar. A China perdeu 6% de sua terra arável desde 1997 graças à erosão, urbanização, projetos industriais e de infraestrutura. Dependência do Brasil. A escassez de água na China está se tornando um veículo de dependência mútua com o Brasil, que atingiu uma escala nunca contemplada. A diminuição da capacidade chinesa de alimentar sua população tende a aumentar a dependência com o Brasil como uma fonte de "água virtual" sob a forma de abastecimento de alimentos, enquanto o Brasil se tornou dependente das exportações para a China para sustentar a atividade econômica e equilibrar suas contas internacionais.
Em 2004, o total das importações de "água virtual" feitas pela China foi de 78 bilhões de m³, o equivalente a 11% das necessidades de água para a sua agricultura doméstica, chegando a 108 bilhões de m³ em 2008. Em 1995, os chineses produziram e consumiram 14 milhões de toneladas de soja. Em 2010, a China ainda estava produzindo 14 milhões de toneladas, mas consumiu 69 milhões, um quarto da oferta mundial.
O Brasil exporta uma grande parte da soja necessária para sustentar o consumo de porcos na China (metade do total mundial) e um mercado de carne bovina que se tornou o terceiro maior do mundo ao longo de uma geração. As exportações para a China mudaram a estrutura da produção agrícola nas Américas, especialmente nos Estados Unidos, Brasil, Argentina e Bolívia. O comércio entre Brasil e China cresceu 50% anualmente desde 2006 e se multiplicou por dez desde 2002, chegando a cerca de US$ 80 bilhões em 2011. Metade da capitalização de mercado na Bovespa é composta por empresas comprometidas com a China. No primeiro trimestre de 2012, a China ultrapassou os EUA como o principal importador do Brasil, depois de aumentar sua participação de mercado de 5% em 2003 para 14,5%, em 2011. A China se tornou o maior investidor estrangeiro no Brasil, avançando de apenas US$ 290 milhões em 2009 para US$ 13 bilhões em 2010 e mais US$ 10 bilhões em 2011. Abertura. A abertura da China à economia mundial, lançada pelo reformador comunista Deng Xiaoping (1904-1997), trouxe enormes benefícios ao povo chinês, como a economia que cresceu quase 10% ao ano nas últimas duas décadas. Centenas de milhões de pessoas saíram da pobreza com a renda per capita que se multiplicou mais de sete vezes em uma geração. Ezra Vogel, biógrafo de Deng, observou que "as mudanças estruturais que ocorreram sob a liderança de Deng figuram entre as mais fundamentais desde que o império chinês tomou forma durante a dinastia Han há dois milênios". Mas Deng não podia imaginar que a China de hoje teria acumulado US$ 3,2 trilhões em reservas cambiais, permitindo-lhe financiar os déficits fiscais dos Estados Unidos e comprar empresas em todo o mundo. Mas esse intenso desenvolvimento tem degradado recursos naturais de terra e água e trouxe nova fragilidade ao sistema político da China e suas relações com o resto do mundo.
A China entrou em uma clara fase de transição: mudança na liderança política neste ano, com o comando do Partido Comunista e do governo passando para uma geração mais nova; mudança de uma estrutura social rural para uma urbana; mudança de um crescimento econômico muito rápido para ritmos apropriados para uma sociedade urbanizada que está envelhecendo; mudança para acomodar as crescentes demandas por cidadania, um conceito alheio para a tradicional cultura chinesa. Ainda assim, extraordinárias profecias continuam a ser feitas sobre o futuro da China. Em 2010, Robert Fogel, professor da Universidade de Chicago laureado com o Nobel de Economia, corajosamente previu: "Em 2040, a economia chinesa chegará a US$ 123 trilhões de dólares, ou quase três vezes a produção econômica do mundo inteiro em 2000", com 40% do PIB mundial e renda per capita de US$ 85 mil. Nos próximos anos, no entanto, os instintos de criatividade, prudência e sobrevivência do povo chinês serão severamente testados. Este ensaio, baseado em seis semanas de pesquisa na China, abordará o alcance desses desafios. “Amigo é aquele que advinha quando dele precisamos”
http://twitter.com/JMSZEKKA
Abraços: Jose de Mendonça Simões. Recife PE-

sexta-feira, 13 de julho de 2012

COMO CRIAR UM DELINQUENTE

                          COMO CRIAR UM DELINQUENTE


1-Comece na infância a dar ao seu filho tudo que ele quiser. Assim, quando crescer, ele acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que deseje.

2-Quando ele disser palavrões, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante.
3-Nunca lhe dê qualquer orientação espiritual. Espere até que ele chegue aos 21 anos, e "decida por si mesmo".

4-Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas. Faça tudo para ele, para que aprenda a jogar sobre os outros toda a responsabilidade.
5-Discuta com freqüência na presença dele. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.

6-Dê-lhe todo o dinheiro que ele quiser. Nunca o deixe ganhar seu próprio dinheiro. Por que ele terá que passar pelas mesmas dificuldades que você passou?

7-Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar frustrações prejudiciais.

8-Tome o partido dele contra vizinhos, professores, amigos. (Afinal todos tem má vontade para com seu filhinho.)
9-Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê essa desculpa: "Nunca consegui dominá-lo."

10-Em ocasiões onde ele estiver reunido com amiguinhos ou com seus irmãos usem e abusem das comparações que incitem disputa. Compare seu caráter, sua capacidade intelectual, e seus dotes estéticos; diga em alto e bom tom para que todos possam ouvir, ele inclusive, coisas do tipo: "Meu filho é mais inteligente que os outros, é mais bonito, é mais esperto, é um gênio."

11-Se tiver algum vício, demonstre-o em sua presença todos os dias. Assim ele vai achar tudo isto natural, e com certeza, mais tarde, vai ouvir suas repreensões sobre os males que estas imperfeições podem trazer.
12-Feito tudo isso, prepare-se para uma vida de desgostos. É sem dúvida seu mais que merecido destino!
Repassando!
Abs , Jose de Mendonça Simões,


A implosão da mentira

                
Repasso essa maravilha !
   A implosão da mentira
Mentiram - me.
Mentiram - me ontem e hoje mentem novamente.
Mentem de corpo e alma completamente.
E mentem de maneira tão pungente que acho que mentem sinceramente.
Mentem sobretudo impunemente.
Não mentem tristes,alegremente mentem.
Mentem tão nacionalmente  que acho que mentindo história a fora
vão enganar a morte eternamente.
Mentem, mentem e calam mas nas frases falam e desfilam de tal modo nuas que mesmo o cego pode ver a verdade em trapos pelas ruas.
Sei que a verdade é difícil e para alguns é cara e escura,mas não se chega à verdade pela mentira nem à democracia pela ditadura.
Evidentemente crer que uma flor nasceu em Hiroshima e em Auschwitz havia um circo permanentemente.
Mentem,mentem caricaturalmente,
mentem como a careca mente ao pente,mentem como a dentadura mente ao dente mentem como a carroça à besta em frente,mentem como a doença ao doente,mentem como o espelho transparente.
mentem deslavadamente como nenhuma lavadeira  mente ao ver a nódoa sobre o rio mentem com a cara limpa e na mão o sangue quente.
Mentem ardentemente como doente nos seus instantes de febre,mentem fabulosamente como o caçador que quer passar gato por lebre e nessa pilha de mentiras a caça é que caça o caçador e assim cada qual mente indubitavelmente.
Mentem partidariamente,
mentem incrivelmente,
mentem tropicalmente,
mentem hereditariamente,
mentem, mentem e de tanto mentir tão bravamente constroem um país de mentiras diariamente.  
          Autor:  Afonso Romano de SantAnna  
         Quem são  esses tamanhos mentirosos?????? 
 #JMSZEKKA
Abraços: Jose de Mendonça Simões. Recife PE-

domingo, 1 de julho de 2012

Chegou

Seja benvindo colega ,
Vamos ajudar na evolução indvidual e coletiva o nosso planeta.
Todos podemos fazer alguma coisa.
http://twitter.com/JMSZEKA
http://jmszeka.blogspot.com

Pesquisar este blog

Arquivo do blog

Quem sou eu

Minha foto
Pesquisador e aficcionado por geopolitica http://twitter.com/JMSZEKKA .